Leilão judicial

Leilão judicial

A ideia de Leilão se iniciou há muitos séculos, mais especificamente 500 a.C., na Babilônia, onde homens leiloavam mulheres para o casamento. 

Na conjuntura atual, utiliza-se os leilões para comprar imóveis, carros, motos, máquinas industriais e agrícolas, dentre outros.

Uma boa opção para quem quer investir por preços abaixo do valor de mercado ou até mesmo para adquirir maravilhosos imóveis, são os leilões judiciais.

Entretanto, para garantir bom arremate, fique atento aos documentos necessários para a aquisição do bem.

A seguir, detalharemos sobre alguns quesitos de interesses para quem pretende investir em leilões. 

Boa leitura! 

O que é Leilão judicial?

São leilões que estão relacionados a processos judiciais e possuem determinações jurídicas para a venda do bem material.

O credor, geralmente, é a instituição financeira que oferece financiamento para a compra do imóvel, com base nos processos judiciais.

Os valores de arrecadação se destinam para quitar dívidas existentes no nome do proprietário.

Há diversos tipos de processos que resultam em leilões: trabalhista, criminal, fiscal, falência, execução cível, dentre outros.

Por envolver justamente essas questões judiciais, a venda de um imóvel, por exemplo, tende a obter preços mais benéficos ao investidor. 

Como funciona um leilão judicial?

Em editais de leilões judiciais, sempre estão presentes as condições e detalhamento do imóvel que foi posto à venda.

É possível encontrar documentação e qualquer tipo de informações extras acerca do imóvel, mas deve-se verificar o acompanhamento de todo o processo e, se possível, verificar o real estado do imóvel. 

Quando a compra é feita através de leilão judicial, para receber o imóvel, dependerá da aprovação do juiz. Dessa forma, o prazo irá demorar mais que outros leilões e depende também de cartório para cartório.

Para que o leilão ocorra, o banco credor terá que solicitar que o imóvel vá para leilão, ao entrar com um processo judicial.

Com autorização do juiz, o leilão é feito, nomeia um leiloeiro pra ofertar o imóvel com valor bem abaixo do mercado, mas é preciso seguir os requisitos necessários para quitar a dívida.

Quem der lance compatível com o valor da oferta ou o que mais se aproxima, garante o imóvel.

Entretanto, o leilão não é a única opção para que se quite o débito. Podem ser feitas outras negociações como formas de pagamento para o proprietário do imóvel, antes de levar para leilão.

Dessa forma, os preços são mais baixos que os do mercado para que seja possível finalizar o processo na justiça.

Como funciona um leilão judicial?

O primeiro passo é se atentar em relação ao edital do leilão e verificar os mínimos detalhes. 

Neste edital estarão informações como formas de pagamento, condições de venda, valor mínimo a ser vendido, estado de conservação do imóvel, impostos e modelo do contrato.

Analisar a documentação de forma detalhada, é extremamente necessário para saber qual o status do imóvel em que deseja investir, inclusive a certidão de matrícula. 

Verificar a situação do imóvel em relação ao antigo dono é fundamental, pois muitos imóveis costumam ter pessoas habitando neles. 

Ao realizar a compra, o comprador recebe a carta de arrematação que permitirá que ele solicite a desocupação do imóvel.

Diversas são as variáveis que é preciso passar por análise, para que se evitem grandes riscos nos leilões. 

Após toda avaliação do edital e da documentação do imóvel e opte por seguir com a compra, é possível obter bastante benefícios, principalmente relacionados ao preço do imóvel. 

Vale ressaltar que é importante registrar logo o imóvel em seu nome pra que não venha a ter problemas futuros.

Vantagens de leilões

Há diversas vantagens em participar de leilões, ainda mais após realizar análises sobre o imóvel e garantir o estado do mesmo. 

Dessa forma, listamos algumas das vantagens de leilões:

Lance mínimo

Quaisquer que sejam os tipos de leilões, todos têm em comum uma coisa: os bens ofertados são vendidos por valores abaixo do mercado, muitos são vendidos por 50% do valor de avaliação.

Condições de pagamento

Leilões são caracterizados por lances à vista, entretanto, quando não conseguem dessa forma, os imóveis podem receber lances parcelados.

Em leilões judiciais, as condições de parcelamento, geralmente, ficam em torno de 25% do valor do imóvel na entrada e o restante em até 30 vezes.

Imóveis sem dívidas

Em leilões judiciais, os imóveis podem possuir dívidas como IPTU, ITR, taxas de condomínio, hipotecas, dentre outros.

Entretanto, os débitos serão pagos no momento da arrematação, pois o dinheiro arrecadado será destinado para a quitação dessas dívidas.

Transparência ao longo do processo

Todos os processos e tramitações que envolvem comprar em leilões judiciais, são feitos de forma transparente e singular.

O juíz quem determina a contemplação da venda e concede a posse ao novo proprietário.

Ótima oportunidade de compra

Como mencionado, os preços de leilões são bem abaixo do mercado e isso traz ótimas oportunidades de compra.

Há inúmeras oportunidades de arremate de imóveis, dos mais diferenciados padrões e gostos, em todos os estados do país.

Juntando o boom imobiliário dos últimos anos com a atual crise, há diversos imóveis novos ou com pouco uso. 

Dessa forma, torna- se ainda mais benéfico para o comprador adquirir imóveis bons e menos encarecidos.

Economia de tempo

Geralmente, pessoas que participam de leilões gostam de investir no mercado imobiliário. Entretanto, o tempo de esperar para elaborar o projeto de uma casa, construir e depois aguardar a entrega demanda muito tempo, não é mesmo?

Mediante isso, em leilões, você encontrará o imóvel pronto, do jeito que necessita, para os mais diferentes gostos, com bom preço e sem precisar esperar a execução do projeto. 

Há também questões burocráticas para solucionar, portanto, é essencial ter acompanhamento de uma empresa, como a Dreams Real Estate, que oferece assessoria jurídica e te ajude a realizar a compra sem maiores riscos.

Dicas para participar de leilão

Diversas são as vantagens em adquirir imóveis em leilão, como algumas listadas acima. 

Entretanto, para que a compra seja feita de forma segura, são necessários alguns cuidados. Separamos três dicas especiais para você que deseja participar de leilões.

Dica 1 – Sempre leia com cuidado e atenção o edital do leilão judicial. Nesse documento estarão todas as informações e detalhes a respeito do evento, incluindo o estado de conversação do bem e regras para participar. 

Dica 2 – Antes de participar, verifique as formas de pagamento aceitas pelo leilão. É essencial que você esteja ciente das formas de pagamento do imóvel de seu interesse. Existe uma clara preferência por lances à vista, tente usá-la a seu favor.

Dica 3 – Há diversos leilões online, em que você não precisa sair de casa para participar, além de otimizar seu tempo. Aproveite essa comodidade! 

Riscos de comprar em leilões

Para quem quer investir em imóveis nos leilões, não pode ter pressa. Apesar de levar um tempo menor que construir uma casa, o processo para retirada do bem demora algumas semanas ou meses.

Alguns imóveis podem estar ocupados e você não poderá visitá-los antes de arrematar, pois o atual proprietário não é obrigado a ceder uma visita enquanto não houver ordem de despejo. 

Com isso, recomenda-se dar preferência a imóveis que estão desocupados. 

Vale ressaltar que, a partir da finalização da compra, os impostos e  taxas de condomínio passam a ser responsabilidade de quem arrematou. 

E essa é uma das razões pelas quais recomendamos assessoria jurídica quando participar de leilões, para que sejam averiguadas as dívidas do atual proprietário e verificar se há processos contra a realização do leilão.

Além disso, estabeleça o valor máximo que você pode realizar, para não contrair uma dívida maior. Desistir de uma arrematação por não ter dinheiro para a compra, você pode ser punido com multa.

É seguro comprar imóveis em um leilão judicial?

Nos leilões, atualmente, o arrematante estará seguro de quaisquer problemas se tomar as medidas necessárias ditas anteriormente. Além disso, eles seguem uma rigorosa regulamentação. 

Em consequência, os leilões judiciais garantem os direitos do investidor. Se assegure de analisar, na véspera, o edital e, se no momento de posse do imóvel, houver quaisquer divergências do que esteve no edital, pode ocorrer a revogação da venda.

Vale ressaltar que se o arrematante se sentir lesado com divergências do edital, ele pode desistir da compra sem sofrer penalizações com as multas e ainda terá direito à reposição do dinheiro pago pelo imóvel.

Dessa forma, é evidente que o comprador terá seus direitos guardados e protegidos, mas sempre sendo necessário ter conhecimento do que foi registrado no edital do leilão, para evitar quaisquer problemas que possam vir acontecer. 

Ressalta-se a importância de ter uma assessoria de toda a parte jurídica para que faça o acompanhamento junto com você, tanto na leitura do edital quanto na finalização da compra.

Para isso, a Dreams Real Estates está aqui para te ajudar a realizar compras seguras em leilões judiciais. Fornecemos assessoria em toda a parte jurídica, com valores justos e equipe de advogados especialistas na área. Clique aqui e conheça nossos diversos serviços!